Documento sem título

Entrevista com Prof. Alexandre Marletta

Semicondutores orgânicos: a nova fronteira da eletrônica.

A eletrônica orgânica (EO) é uma área relativamente recente da ciência em grande crescimento nas últimas décadas e tem como foco o desenvolvimento tecnológico de novos dispositivos eletrônicos e optoeletrônicos, sendo os principais: diodos emissores de luz, transistores de efeito de campo e células solares obtidos a partir de materiais semicondutores baseadas em moléculas orgânicas, ou seja, compostas principalmente de carbono e hidrogênio. Na área da EO é possível desenhar, sintetizar e caracterizar pequenas moléculas orgânicas ou polímeros, afim de que apresentem propriedades eletrônicas desejáveis para aplicações específicas. Uma grande vantagem da eletrônica orgânica é o baixo custo de processamento em relação à eletrônica inorgânica tradicional. Um dos dispositivos mais pesquisados são os PLEDs (Polymer Light-Emitting Diode), no qual polímeros semicondutores emitem luz ao serem atravessadas por uma corrente elétrica. Esta tecnologia está sendo proposta atualmente na produção de telas de TV, as quais consomem menos energia e são mais leves do que as de LCD. Neste seminário serão abordadas as características gerais dos semicondutores orgânicos e os resultados obtidos pelo Grupo de Espectroscopia de Materiais do Instituto de Física da Universidade Federal de Uberlândia. Novas técnicas estroboscópicas, elipsometria de emissão e atividade óptica raman, também serão apresentadas.